Por Claudia Salgado - Poe Na Roda  

Representatividade é importante em todos os espaços e agora não há mais desculpas, pelo menos em termos de publicidade ou trabalhos de divulgação.

Desenvolvido pelo coletivo gaúcho Viva Voz, o banco de imagens Tem Que Ter é a primeira plataforma de imagens LGBT do país. O projeto já está disponível, em versão beta, e traz fotos exclusivas que retratam pessoas LGBT+ em situações cotidianas. 

As imagens estão disponíveis para download gratuito no site do projeto www.temqueter.org

O Tem Que Ter foi um dos 14 trabalhos contemplados com bolsas no SaferLab, iniciativa da SaferNet Brasil em parceria com o Google.org e a UNICEF Brasil para estimular a criação de projetos contra o discurso de ódio na internet.

Com o banco de imagens, o grupo de jovens publicitárias e comunicadoras de Porto Alegre propõe uma reflexão sobre representatividade, diversidade e comunicação inclusiva. 

Fernanda Sanchis, uma das criadoras do projeto e aluna de publicidade da ESPM Porto Alegre disse ao site B9 que “A presença LGBTQI+ na propaganda brasileira é quase nula, e as poucas manifestações que fogem do padrão heteronormativo acabam, muitas vezes, reforçando estereótipos.

A gente entende que as mensagens criadas por marcas, negócios e agências de publicidade possuem impacto social, e podem ser utilizadas como ferramentas de promoção da diversidade.”

Nessa etapa do Tem Que Ter, o acervo conta com mais de 150 fotos, assinadas por 6 fotógrafos distintos: Isadora Heimig, Caroline Lima, Patricia Richter, Ricardo Matsukawa, Urich Santana e Cíntia Lazzarotto. As imagens foram feitas em locações variadas em Porto Alegre e em São Paulo e protagonizadas por pessoas LGBT comuns (não modelos profissionais), a fim de garantir que a diversidade também estivesse representada na escolha do casting.