PM investiga soldado que usou farda ao pedir namorado em casamento no dia da Parada LGBT em SP

Documento atribuído à Polícia Militar circula na web informando que Leandro Prior estava proibido de fazer ato por trabalhar no domingo; policial recebeu ameaças por divulgar gesto.

 

Mas o que deveria ser um gesto de amor se tornou um problema para o soldado. Por meio de nota, a PM confirmou à reportagem que irá mesmo apurar se Leandro desobedeceu alguma ordem superior ao usar o uniforme durante o pedido de casamento.

 

“Todas as circunstâncias relativas às condutas do Soldado PM Leandro Prior, que estava de serviço neste domingo (23) na região conhecida como Cracolândia, serão objeto de análise pelo seu respectivo Comando de Área”, informa nota enviada pela assessoria de imprensa da corporação.

 

 
Documento atribuído à PM circula nas redes sociais informando que soldado Leandro Prior estava proibido de fazer pedido de casamento ao namorado por estar de "serviço" — Foto: Reprodução/Redes sociais

Documento atribuído à PM circula nas redes sociais informando que soldado Leandro Prior estava proibido de fazer pedido de casamento ao namorado por estar de "serviço" — Foto: Reprodução/Redes sociais

Apesar de não explicar exatamente qual teria sido a infração militar cometida pelo policial, outro documento atribuído à PM, e que circula na web, mostra que Leandro não poderia usar farda para pedir o namorado em casamento porque estava trabalhando.

“Não estaria autorizado em razão do militar estar em serviço”, informa trecho do relatório intitulado “comunicação de fato envolvendo policial militar de serviço”. O documento ainda pede “demais providências” contra Leandro. O tenente que assina o papel alega ter encaminhado fotos do pedido de casamento e cópia da escala de serviço do soldado.

Após a publicação desta matéria, a PM divulgou nota na qual ainda não confirmava a autenticidade do documento.

 

"A Polícia Militar esclarece que todas as circunstâncias relativas aos fatos estão sendo apuradas, inclusive o suposto relatório da corporação que circula pela web", informa a nota da corporação.

  

Segunda parte do documento atribuído à PM, e que circula na web, pede "providências" contra a atitude do soldado que pediu namorado em casamento usando farda da corporação — Foto: Reprodução/Redes sociais

Segunda parte do documento atribuído à PM, e que circula na web, pede "providências" contra a atitude do soldado que pediu namorado em casamento usando farda da corporação — Foto: Reprodução/Redes sociais

Procurado pela reportagem, Leandro não quis comentar o assunto. O advogado do soldado, Antonio Alexandre Dantas de Souza, não foi localizado. Elton também não foi encontrado para falar.

 

“Em 188 anos é um momento único, histórico, e espero que abra precedentes para que ninguém mais, dentro ou fora de quartéis, permaneça dentro de armários. Que as pessoas se prevaleçam dessa resignação, dessa representatividade. E se encorajem para não permitir que a opinião do outro suprima sua felicidade”, declarou Leandro na filmagem feita pela cinegrafista no dia que fez o pedido de casamento.

 

 
Homem que se identificou como policial militar ameaça soldado Leandro Prior após ele divulgar pedido de casamento que fez ao namorado — Foto: Reprodução/Redes sociais

Homem que se identificou como policial militar ameaça soldado Leandro Prior após ele divulgar pedido de casamento que fez ao namorado — Foto: Reprodução/Redes sociais

Apesar das mensagens de apoio pelo gesto de ter pedido o namorado em casamento usando a farda da PM, Leandro também sofreu ameaças.

 

“Vou te caçar e vou te ensinar a virar homem na porrada, seu f.d.p.* do c*”, escreveu um homem que se identificou como policial militar. “Viado f.d.p.* você não vai desonrar a minha gloriosa PMSP [Polícia Militar de São Paulo]” (*o G1 suprimiu os palavrões).

 

A reportagem apurou que Leandro levou as ameaças sofridas à Corregedoria da PM, já que elas teriam sido feitas por policiais da própria corporação. Procurada pela reportagem, a Polícia Militar também confirmou essa informação.

 

Outros PMs já fizeram pedidos de casamento

 

 
Aspirante a soldado faz pedido de casamento em formatura da polícia em São José dos Campos — Foto: Arquivo Pessoal/Natália Rocha

Aspirante a soldado faz pedido de casamento em formatura da polícia em São José dos Campos — Foto: Arquivo Pessoal/Natália Rocha

Não é incomum pedidos de casamento por policiais militares fardados durante o trabalho ou de folga. A diferença é que os casais em questão são heterossexuais e não homossexuais, como o soldado Leandro e Elton.

 
 
 

PM ficou conhecido por beijo no Metrô

 

Leandro ficou conhecido nacionalmente em junho do ano passado, quando um vídeo gravado sem sua autorização o mostra fardado e de folga beijando a boca de outro homem não identificado, em trajes civis. As cenas foram filmadas dentro do Metrô de São Paulo e repercutiram nas redes sociais depois de serem compartilhadas.

Leandro recebeu xingamentos e ameaças de morte nas redes sociais por causa do 'selinho' que deu no amigo. Ele ficou afastado temporariamente para cuidar de uma depressão.

 
Soldado da PM Leandro Prior aparece sando beijo em homem em vídeo que 'viralizou' na internet — Foto: Reprodução/Redes sociais

Soldado da PM Leandro Prior aparece sando beijo em homem em vídeo que 'viralizou' na internet — Foto: Reprodução/Redes sociais

Ainda assim acionou a Polícia Civil e a Polícia Militar para tomarem providências. Apesar disso, o soldado também recebeu apoio da comunidade LGBT, inclusive de agentes de segurança.

Mesmo figurando como vítima de homofobia, o soldado responde a um procedimento administrativo também na corporação. Segundo a PM, a atitude de Leandro no Metrô não obedeceu a regras de segurança exigidas pela corporação. Ele teria deixado o

coldre da arma aberto.

 

 
 

Por Kleber Tomaz, G1 SP — São Paulo

 

 

@ricardo_viotti